Buscar
  • Caroline Pires Ayala

Growth hacking pra quê???

Atualizado: 25 de Mar de 2020

#growthhacking

Na prática, Growth Hacking significa definir processos de trabalho para o crescimento contínuo da sua empresa.

É uma forma de pensar os desafios.

Essa forma consiste em...

- Identificar o principal problema que está retardando seu crescimento;

- Focar esforços na solução deste problema;

- Pensar em melhorias;

- Priorizar ideias mais relevantes;

- Definir a forma mais simples de testar novas ideias e aplicá-las.

Esse processo vai garantir que a equipe aprenda com seus sucessos e insucessos, usando este aprendizado para gerar novos testes e avançar nos resultados.

São tarefa que exigem disciplina e organização.


Diferenciais do método:

- Buscar formas inovadoras de divulgar sua marca e seu produto ou serviço.

- Mesclar pessoas de perfil analítico e científico com pessoas de perfil criativo.

- Registrar os processos para obter informações reais.


Por que aplicar o Growth Hacking em sua empresa?

1. Viabiliza várias pequenas solução que resultam em ganhos sustentáveis e realistas.

2. É possível testar diversas inovações simultaneamente, consciente que a análise de dados necessita de médio a longo prazo, visando obter relevância para tomada de decisões estratégicas, é aconselhável testar várias possibilidades ao mesmo tempo para agilizar os processos.

3. Conhecimento é poder, se souber interpretar e usar. Ou seja, experimentos, mesmo quando falham, trazem aprendizado.


Como iniciar o growth hacking?

Exemplo de objetivo: melhoria de performance, melhorar o que já é feito.

Consiste em criar processos de trabalho padronizados para métodos já validados pelo mercado. Resumindo: fazer o básico bem feito.


Como usar o growth hacking na prática?


1. Identificar o problema a ser resolvido. Exemplo: gargalo no funil de vendas.


2. Incentivar um brainstorm com foto na solução. Iniciar com a busca por melhorias mais fáceis. Exemplo: páginas do site com pouco acesso, landing pages com taxas

de conversão ruins. Pesquisar fontes de informação e referências, tais como

grupos de discussão e material online sobre o problema.


3. Defina processos simples para manter o growth hacking ativo. Exemplo: frequência e tipo de reuniões, relevância dos experimentos, definir o que é cada experimento e qual a hipótese em relação a ele.


Não esqueça de:

- Priorizar as ideias mais relevantes.

- Definir quais ferramentas serão usadas para buscar o objetivo.

- Realizar testes A/B.


Segundo estatísticas, mais de 50% dos experimentos dão errado, é fundamental registrar o erro para não repetir.


Só aplicar em grande escala após testar e aprovar em experimentos menores.


Ferramentas fundamentais (hacks):

Google Analytics, HEAP e mixpanel = mensuração de dados

Pop-up/coletor de emails = devem ser utilizados conforme contexto, com bom senso e em páginas específicas do site.

Entender o comportamento do visitante = Inspectlet e LuckyOrange

Exemplo: gravar o comportamento do usuário em uma landing page e

fazer análises para identificar o que pode fazer com que tenha maior

êxito em seu propósito.


CONCLUSÃO:

Por experiência própria garanto, quem já trabalhou com Certificação ISO, que basicamente consiste em "registre o que você faz e faça o que você registrou", tem um domínio consistente das técnicas de Growth Hacking, pois este método de trabalho visa obter padronização, controle e análise de resultados, para que exista um domínio de conhecimento e, dessa forma, seja possível visualizar oportunidades consistente de melhorias contínuas, que significa maior ganho para todas as partes envolvidas nos trabalhos.


Fonte de pesquisa: https://resultadosdigitais.com.br/blog/o-que-e-growth-hacking/





14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo