Buscar
  • Caroline Pires Ayala

Informação x Conquista do Consumidor

Atualizado: 25 de Mar de 2020


Informação x Conquista do Consumidor


Realidade brasileira


Com objetivo de analisar o comportamento de compra dos consumidores frente às novas fontes de informações sobre produtos, uma pesquisa global é realizada, já há 10 anos, pelo Interpublic Group. O trabalho é intitulado "The IPG New Realities".

A Interpublic Group é uma empresa norte-americana de publicidade, de capital aberto, fundada em NY em 1930.


Principais itens investigados por esta pesquisa:

- o quanto o consumidor atual valoriza informações sobre produtos

- se acha as informações satisfatórias

- se está compartilhando-as

- quais canais de mídia prefere

- o que pensa sobre os influenciadores

- nível de confiança nas marcas


Resultados recentes demonstraram que consumidores do Brasil são os que mais sentem-se valorizados ao receber informações relevantes sobre marcas. No Brasil a maioria dos entrevistados acredita que o crescimento de satisfação com uma marca é proporcional ao aumento de informação recebido sobre a mesma. Essa percepção por parte do consumidor brasileiro vem crescendo a cada nova edição da pesquisa.


O público acima dos 40 anos é o que mais valoriza receber informação, portanto, setores de marketing devem ter atenção redobrada neste tipo de persona, considerando como estratégico o foco em quantidade e qualidade de informações se quiser vender e fidelizar este perfil.


O fator volume das informação encontradas sobre a marca é diretamente relacionado à confiança na mesma.


A recomendação pessoal continua sendo apontada como principal fator de decisão. Isso mostra a necessidade de manter atenção na experiência de compra, o bom e velho

encantar o cliente a ponto deste se sentir motivado a recomendar a marca para familiares, amigos e conhecidos.


Por outro lado, a valorização das recomendações sobre marcas em redes sociais teve um decréscimo, segundo esta pesquisa. Consequência do impacto das fake news.

Um alerta a influenciadores digitais, que precisarão se esforçar cada vez mais para que suas opiniões e recomendações sejam consideradas relevantes pelo público. A reputação de marcas e pessoas está na mira dos consumidores. Houve queda de 11% de 2017 para 2019 no número de entrevistados que fizeram compras com base na

recomendação de alguém a quem seguiam nas redes.


Mais da metade dos entrevistados disseram que a maioria das empresas fica abaixo das expectativas de uma ótima experiência de compra, o que prova que as melhores

práticas de marketing ainda estão mais na teoria do que na prática efetiva de grande parte das organizações.


Quanto a resolver problemas sociais, a maioria dos entrevistados (53%), confia mais na iniciativa privada do que no governo. Especialmente os mais jovens, que afirmam: empresas com responsabilidade social tem marcas mais fortes.


No Brasil esta pesquisa iniciou em 2011 e, atualmente, as principais demandas dos consumidores são:

- receber mais apoio a longo prazo das marcas

- gerar experiências e diálogo

- conquistar confiança


Fonte: meio&mensagem, fevereiro de 2020


24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo